Hipertrofia Benigna da Próstata

A hipertrofia benigna da próstata é uma patologia extremamente frequente em homens mais velhos, sendo causada por múltiplas causas. A próstata cresce lentamente e comprime a uretra na saída da bexiga. A HBP pode afetar a forma como normalmente urina, podendo ter um efeito negativo sobre a sua qualidade de vida, já que resulta em sintomas do trato urinário inferior (LUTS). É a patologia mais frequentemente diagnosticada na urologia.

Receberá tratamento para os sintomas causados pela HBP se estes forem incómodos e afetarem a sua qualidade de vida. O principal objetivo da cirurgia é aliviar os sintomas associados à HBP e melhorar o fluxo de urina. O tratamento cirúrgico mais frequentemente realizado para os sintomas da HBP é a ressecção transuretral da próstata (RTU-P). O objectivo é remover a parte da próstata que causa os sintomas (o adenoma). O procedimento é realizado através da uretra, sem incisão na parte inferior do abdómen, sendo conhecido como tratamento minimamente invasivo. A RTUP oferece óptimas melhorias dos sintomas causados pela HBP. Após a RTUP, poderá ter ejaculação retrógrada.

A HBP também pode ser tratada por outros tipos de cirurgia:

  • Incisão transuretral da próstata (ITUP): durante a ITUP, o médico realiza uma incisão na próstata através do colo vesical para melhorar o fluxo de urina. Este procedimento raramente é utilizado para o tratamento da HBP, uma vez que é possível alcançar resultados semelhantes através de tratamento com medicamentos.  
  • Prostatectomia aberta ou laparoscópica: este procedimento remove o adenoma de forma semelhante à RTUP ou à enucleação com laser, mas é realizado através de uma incisão no abdómen ou laparoscopicamente. É recomendado para homens com próstatas de muito grandes dimensões.   
  • Tratamento com laser: o laser utiliza luz intensa para cortar (enuclear) ou vaporizar o tecido da próstata. Este procedimento implica apenas uma pequena perda de sangue. 

Quais são os possíveis sintomas em homens com HBP?

A HBP pode tornar o seu fluxo de urina muito lento, podendo fazer com que o seu fluxo de urina pare e comece várias vezes ao esvaziar a bexiga, ou poderá ter de esperar e fazer força antes de começar a urinar. A HBP poderá fazer com que tenha de urinar muitas vezes durante o dia e também durante a noite (noctúria ou nictúria). Também pode causar urgência e, por vezes, pode levar à perda involuntária de urina (conhecida como incontinência).

Poderá igualmente sentir que a sua bexiga não esvaziou completamente após a micção. O seu fluxo de urina poderá terminar com gotejamento, podendo molhar a sua roupa interior depois de urinar.

A próstata é uma glândula que produz o fluido que transporta o sémen. Contém músculo liso, que ajudam a expelir o sémen durante a ejaculação. A próstata está localizada abaixo da bexiga e envolve a uretra.

Os sintomas associados à HBP são, por vezes, designados de LUTS (sintomas do tracto urinário inferior) masculinos. Os LUTS podem dever-se a outras condições que afectam o sistema urinário.

A HBP não é cancro e não causa cancro. No entanto, tanto a HBP como o cancro da próstata podem desenvolver-se à medida que se envelhece. Se nunca foi examinado para deteção do cancro da próstata, deverá procurar um urologista para examiná-lo e fazer a sua devida avaliação.

O médico irá elaborar a sua história clínica e fará um exame físico, incluindo um exame rectal digital (toque rectal) da próstata. Durante esse exame, o médico utiliza um dedo para sentir o tamanho, a forma e a consistência da próstata. Os seus sintomas serão cuidadosamente avaliados, serão realizadas análises de sangue e de urina, e a velocidade do fluxo de urina será medida durante a urofluxometria.

O nível do PSA (antigénio específico da próstata ou prostate specific antigen) no seu sangue poderá ser testado, já que a HBP e o cancro da próstata podem ocorrer na mesma faixa etária. O PSA também pode ser utilizado para uma estimativa do volume da sua próstata, bem como do risco de agravamento dos sintomas da HBP.

A análise de urina é utilizada para excluir a existência de uma infeção do trato urinário, que causa sintomas semelhantes. Se tiver uma infeção, a cultura de urina é utilizada para confirmar e escolher o melhor tratamento antibiótico para a infeção.

A urofluxometria mede a velocidade do fluxo de urina, sendo realizada para verificar se a próstata obstrui o fluxo de urina.

A quantidade de urina que permaneceu na bexiga após a micção é medida para verificar se a bexiga é capaz de esvaziar completamente. O RPM elevado é um sinal de que a bexiga não está a funcionar corretamente ou de que existe um bloqueio na uretra, o que pode aumentar o risco de infeções do trato urinário.

A ecografia da bexiga (ecografia vesical) pode ser utilizada para diagnosticar outras possíveis causas dos sintomas. Também poderá verificar se o doente possui outras condições que coexistam com a HBP, o que poderá agravar os sintomas ou ter um efeito na seleção da melhor opção de tratamento para si. A ecografia da próstata é utilizada para medir o volume da próstata, o que poderá ser importante para confirmar o diagnóstico de hipertrofia da próstata e decidir qual a melhor opção de tratamento para si.

Ejaculação retrógrada significa quando o sémen não atravessar a uretra peniana durante o orgasmo, sendo projetado para o interior da bexiga e expelido posteriormente, ao urinar. Poderá existir ejaculação retrógrada após a cirurgia para a HBP, estando esta também associada a alguns tipos de tratamento com medicamentos, não tendo nada a ver com impotência.

Na maioria dos casos, a cirurgia não causa disfunção eréctil.

Se a retenção urinária desenvolve e você não é capaz de urinar, um cateter permanente inserido por alguns dias até que você possa urinar por conta própria. Dependendo de como os cuidados de saúde é organizado em seu país, o cateter é colocado pelo seu médico de família, o urologista, ou na unidade de emergência do hospital.

Marcação de Consulta